[Resenha] Dezessete Luas - Margaret Stohl e Kami Garcia

Título: Dezessete Luas
Autor (a) s : Margaret Stohl e Kami Garcia
Editora: Galera Record
Data da Publicação: 2011
Número de Páginas: 462
Preço: Entre 25,00 e 40,00

Sinopse: 

"Juntos, Ethan e Lena podem enfrentar qualquer ataque de Gatlin. Ao menos era assim que funcionava antes de Lena sofrer uma perda trágica e começar a se afastar e guardar segredos que estão testando o relacionamento. E agora que Ethan abriu os olhos para o lado negro de Gatlin, não há como voltar atrás. Assombrado por estranhas visões que somente ele consegue ver, Ethan vai sendo puxado cada vez mais para dentro da história confusa de sua cidade."
Fonte: Skoob





Crítica e Resumo:

Quando terminei Dezesseis Luas e depois de ter saído do choque por ser completamente diferente do filme eu simplesmente necessitava da continuação, em especial, por saber que não haveria mais filmes.

Em Dezesseis Luas Ethan e Lena se descobrem, mas em 17 eles estão juntos de uma forma terrivelmente maluca. Com a morte de Macon Lena começa a se afastar e também a esconder segredos Ethan não entende, mas também não sabe como se aproximar dela. As coisas começam a piorar quando um cara muito esquisito além de ser um Incubus - John Breed - beeem diferente, uma vez que ele pode andar à luz do sol aparece na cidade e se aproxima de Lena. Eu teria ficado muito brava não fosse pelo surgimento anterior de Olívia, sobrinha de Marian -- a verdadeira guardiã do mundo Conjurador e bibliotecária da cidade de Gatlin -- , e essa garota, apesar de ser legal, vai se aproximar de Ethan e vai até mesmo se apaixonar por ele!  Ethan, no começo não percebe nem liga, mas depois ele começa a nutrir sentimentos por ela. CALMA, GENTE! Ele não abandona a Lena, mas as coisas ficam estranhas entre eles.

A família de Lena está tentando ajudar, mas eles não podem fazer muita coisa. Lena e Ethan estão tentando de tudo para parar a maldição. Lena não foi invocada na sua lua 16 e tudo indica que ela será agora na sua lua 17. Ela começa a se aproximar de Ridley, sua prima, enquanto o amigo de Ethan, Link que fora apaixonado nela está cada vez mais triste pelo fim do namoro.


" Não posso ir para onde você está indo, Lena
  Eu sei.
Você estará sozinha.
(...)
Já estou sozinha. "

Só que, gente!!! O final do Dezessete Luas é ainda mais fascinante e surpreendente que o Dezesseis Luas. Tudo o que você menos esperou acontecer ACONTECE! Bem assim, na sua frente. Você tá lendo, comendo as unhas de ansiedade, pois teme pela vida dos personagens e teme pelo destinos deles e quando ver BAM as autoras te jogam uma bomba e BAM você termina o livro e BAM quer o Dezoito Luas imediatamente.

" Sente-se, L! Você vai cair!
(...)
Não te contaram? Eu já caí. "

Só digo uma coisa: Lena ainda não, de fato, invocada nesse livro. Ainda há mais dois que logo resenharei aqui, porém, a partir do Dezessete Luas tudo começa a ficar mais sombrio. Antes nós tínhamos um pouco de esperança,  mas agora começamos a enxergar bem o rumo das coisas. Há mortes, há perdas, há sacrifícios e há dor.

" Alguém poderia ser feliz se acordasse e de repente não fosse alguém especial?"

O que será de Ethan e Lena agora que o destino de fato os separou? Como puderam perceber nas citações, os diálogos são tristes. Lena está perdida, desistiu de tudo e parece que nem mesmo Ethan está sendo capaz de reergue-la e não há nada pior que uma conjuradora não invocada triste, pois ela poderá ser influenciada facilmente, em especial, pelos conjuradores das Trevas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário