[Resenha] O Vilarejo - Raphael Montes

Título: O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
Editora: Suma de Letras
Data da Publicação: 2015
Número de Páginas: 96
Preço: Entre 25,00 e 35,00 


Sinopse:
"Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas.
É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome. As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão."
Fonte Skoob

Crítica e Resumo:

Falar de Raphael Montes é até complicado porque não sei por onde começar. Li Suicidas em 2014 pouco antes da Bienal e antes de encontra-lo pela primeira vez. Não fosse a faculdade eu teria terminado antes de vê-lo e entregar seu filho para ser marcado pelo pai. Um dia depois eu terminei essa obra maravilhosa dele e me apaixonei ainda mais. O cara é foda. Orgulho da literatura nacional, viu!  Quando cheguei nas páginas finais de Suicidas eu queria abraçar o Raphael e dizer : você é demais, parabéns! Fiquei cinco segundos de boca aberta. Pouco tempo depois li Dias Perfeitos. Adorei, claro. Ainda prefiro Suicidas, mas Dias Perfeitos não teve erro algum. Podem achar loucura, mas entendo Téo perfeitamente. Mas enfim, conversa pra outra resenha.

" Matar uma pessoa não é tão difícil, afinal. Basta puxar um gatilho, colocar uma erva venenosa no chá, apertar com força o nó de uma corda em volta do pescoço desprevenido. "

Mas vamos ao Vilarejo. Ainda nessa terça (15/09) tive a honra de levar O Vilarejo para ser autografado pelo Raphael no Sempre Um Papo que tem em BH vez por outra. Batemos um papo e depois fomos para a sessão de autógrafos. Ainda no evento comecei a ler O Vilarejo. O prefácio já começa falando que o tradutor ( Raphael Montes ) decidiu traduzir umas histórias macabras.

" Gosto de lugares assim, com a podridão humana estampada no rosto das pessoas. "

Só que não eram quaisquer histórias. Eram histórias meio que demoníacas. Cada uma delas recebe um título e um demônio. E cada demônio representa um pecado capital. Olha a perfeição só nessa introdução, gente! Não é um livro de contos, e você pode ler qualquer história que quiser sem seguir ordem. Gostei mais da primeira, gula, mas todos os outros são fascinantes.

" - Eu errei! Eu me arrependi.
                                      - Seu arrependimento não muda nada, meu filho. "

Cada um com um final ainda mais macabro, sombrio e surpreendente. É, galerinha, se você não tem medo entre no Vilarejo! A narrativa de Raphael Montes é tão incrível que você começa a pensar se morasse no Vilarejo o que faria, se cederia. Dá um medo, cara haha . Mas é isso. Vale a pena. Você lê numa sentada só e no final descobre que as histórias ainda estava meio interligadas. É muita ninjiosidade!!!




Um comentário:

  1. Faz muito tempo que quero começar a ler Raphael Montes; Suicidas para mim já virou obrigação de leitura, pois todos devoram o livro. Já tinha ouvido falar n"O Vilarejo" e agora me interessei de verdade. Gosto muito de histórias que exploram os sete pecados e de terror, e com certeza vou conferir a obra :)

    ResponderExcluir