[Resenha] Maze Runner - Correr ou Morrer

Nome : Maze Runner - Correr ou Morrer 
Autor: James Dasher
Editora: V&R - Vergara e Riba
Ano de Publicação: 2010
Número de Páginas: 426
Preço: Entre 23 e 40 reais 


Sinopse:
"Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.
Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. 
Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo.
Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito.  "

Fonte: Skoob

Crítica e Resumo:

Quando vi Dylan O'Brian na capa do filme Maze Runner ao lado de Kaya Scodelario pensei: necessito desse filme. Vi antes de ler, pois como geralmente acontece quando vejo um filme realmente bom eu não sabia que ele era baseado em um livro que só leio mil anos depois. No entanto, ganhei o box com todos os livros do meu namorado não muito tempo depois e não fossem as milhões de coisas da faculdade eu teria terminado Prova de Fogo antes do lançamento do filme.

Mas vamos falar de Correr ou Morrer. É um livro engraçado. Mas não é comédia. É um livro assustador, mas não é de terror. É um livro que te prende sem ser suspense. Não sei definir o gênero de Correr ou Morrer, pois tem de tudo um pouco e a capacidade de te prender desde a primeira linha. Thomas é jogado em um lugar inóspito junto de vários outros meninos. Todo mês uma caixa de suprimentos sobe e toda noite a porta do grande Labirinto é fechada impedindo criaturas mortais e estranhas de entrarem em seu local seguro. Os Corredores. Os Corredores são os escolhidos para entrarem no Labiritindo ao longo do dia e fazer um mapa de cada partezinha desse lugar que mais parece um inferno. Voltam antes dos enormes muros se fecharem. Por dois anos a rotina dos Clareanos ( são assim chamados, pois o local onde eles estão é chamado de Clareira ) foi essa. Cada um com uma função, cozinha, plantar, matar os animais para comer, cuidar dos feridos e tal. Todavia quando Thomas chega as coisas começam a mudar de uma forma estranha. Ninguém se lembra de nada e Thomas não sabe o motivo, também, de ele saber falar as palavras esquisitas que os Clareanos falam como plong, mértila e coisas assim. Eles acreditam que estão sendo observados, mas ninguém imagina por quem ou porquê.

Ao longo do livro as coisas vão acontecendo. Thomas decide entrar no Labirinto, faz amizades e conquista seu espaço na Clareia apesar de conquistar também alguns inimigos. Mas o mistério do livro se mantém até na última página. Eles conseguem sair daquele lugar? Os Verdugos ( criaturas mortais meio bicho meio robô que atacam à noite) são comandados por quem? Ao ser picado por um deles se não tomar o soro você morre, mas não antes de agonizar e ter lapsos de sua vida antes da Clareira. Por que estão fazendo aquilo com os meninos? E mais... Alguns dias depois da confusão que Thomas causa dentro do próprio Labirinto uma garota - a primeira em dois anos - é enviada e junto dela um recado : ela é a última. Isso quer dizer que os suprimentos que antes eram mandados todo mês junto de um novo trolho ( denominação que os Clareanos dão aos novatos ) acabou. Eles iriam morrer não fosse por Thomas e a garota que parece ter uma ligação com ele antes mesmo de chegar ali. O livro é todo mistério, suspense, terror, comédia e drama. A vida dos garotos está por um fio. Eles não perdem as esperanças. O filme é tão bom quanto o livro, claro que como todo filme sofreu mudanças, mas nada no nível Percy Jackson e Dezesseis Luas, na minha opinião foi bem fiel, até. Em breve pretendo fazer a resenha do filme também. Super vale a pena seu tempo ler essa obra prima de Dasher.

4 comentários:

  1. James Dashner me conquistou em todos os livro da série Maze Runner. A escrita dele é tão bem feita que dá gosto de ler. Gostei muito da resenha, parabéns.
    Abraços.
    Até mais
    http://livrosgold.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieee! Sim, ele é demais mesmo, né? Obrigada pela visita *-*

      Até mais.

      Excluir
  2. Oi, Thays, encontrei seu blog através da divulgação no Skoob. ^^
    Me identifico quando vejo alguém empolgado com Maze Runner, quando comecei a ler, mal conseguia largar do livro. Devo ter lido toda a trilogia em menos de uma semana: mesmo que eu não considere Dashner um bom escritor em termos técnicos, não se pode negar que ele sabe manter o clima de mistério e tensão como ninguém.
    No entanto, preciso confessar que o terceiro volume foi uma decepção enorme... Depois quero saber o que você achou.

    Tenho um blog também, o http://bookwormscientist.com/. Querendo trocar umas figurinhas literárias, é só falar ;)

    ResponderExcluir
  3. Oiiii!
    Eu gostei dele haha Da escrita também, mas vamos ver o que acharei no final da série,né? Obrigada pela visita. Tentei seguir seu blog, mas não tem a opção de seguidor. Vou comentar nas postagens então, tá? Beijooos

    ResponderExcluir